quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Tango




Vem!
Como eu quero dançar.
Nem um tango
Consigo marcar
Os pés não deslizam?
Os olhos não visam?
A respiração, eu não sei controlar?
Vem devagar...
Oculta-me o ar...
Faz-me sentir o medo
De te poder pisar
Numa aragem do vento
O peito colar
O folgo soltar
Os lábios cremar

Numa reviravolta
Não dar...

Por tempo passar
E o mundo acabar

Cristina Moita

2 comentários:

  1. Cristina

    Bonito poema, onde me parece que as palavras não hesitam, elas dançam soberbamente na sensualidade que qualquer tango bem dançado deixa respirar.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. Cristina


    Venho apenas desejar-te um novo ano de muito amor e harmonia. E que essa alegria que te caracteriza esteja sempre permanente nos teus dias.



    Beijinho

    ResponderEliminar