sábado, 21 de agosto de 2010

Tutano

Este poema, não tem boca!
Não tem olhos?
Nem nariz…
Só tem osso!
Muito tutano...
Numa alma veles que o quiz
Poema que não tem boca,
Não tem voz!
Só seu cariz
Quer chegar a quem o sente
No molde
De se sentir feliz

Cristina Moita

Sem comentários:

Enviar um comentário