segunda-feira, 5 de julho de 2010

Liberdade é a(mar)

Fui...
Mas vou voltar.
A praia sempre foi o meu lugar...
Sou um peixe...
Ou o meu horóscopo não tem lugar.
Perco-me no brilho das águas a respirar
O farol tem metáforas
Cravadas no rosto
De um pescador
Que aguarda a sua pesca
Deitando as redes ao mar
Na persistência de um luar
Sou pesca...
Não sereia! A fada não me iria modificar...
Não tenho guelras nem tentáculos
Para ser polvo ou cavalo do mar
Sou um peixe diferente
Aquele que quiseres encontrar...
Sonho, olhando as estrelas
Tudo em mim é água
Como uma criança a levitar
Procuro a liberdade
No profundo sentido da palavra
A(mar)

Cristina

Sem comentários:

Enviar um comentário